Empresas: (11) 3569-3971 | Candidatos: (11) 9895-77356   | E-mail: habittus@habittus.com.br


BLOG CATEGORIAS








ARTIGOS E

COMENTÁRIOS

     Vídeos
     Habittus Gente&Gestão










Sugerir Tema para o Blog

Nome
Sugestão de Tema

 
  • Artigos

    Data: 29/09/15  hora: 03:15:08



LIÇÕES CORPORATIVAS DO PROGRAMA MASTERCHEF
Você já deve ter visto ou ouvido falar do reality show MasterChef da Rede Bandeirantes, não ?
ERNESTO NAKAMATSU

Foto de exibição

Você já deve ter visto ou ouvido falar do reality show MasterChef da Rede Bandeirantes, não ?

Baseado em um formato original do mesmo nome na Inglaterra, é sucesso em diversos países e é sempre um dos assuntos mais comentados nas redes sociais aqui do Brasil.

O programa é uma disputa entre pessoas que acham que tem talento culinário e apaixonados por culinária, onde submetem este prazer de cozinhar a um cenário de pressão onde podem por a prova sua aptidão e prazer de fazer algo e se avaliarem no sentido de transformar um hobby em uma carreira profissional. Eu tenho a culinária como hobby, é um dos momentos em que consigo me distrair e não pensar inconscientemente no meu dia a dia profissional e comecei a assistir como lazer e ao mesmo tempo como forma de aprendizado de técnicas, receitas e apresentações que pudesse aplicar em casa para família e amigos mas, não é que de repente percebi certos conceitos no programa que além da culinária e lazer podem ser úteis em carreiras de outras profissões?

Segue alguns desses achados e metáforas que me vieram...

No programa um cozinheiro amador tem a chance de ao longo da competição tornar-se um chef profissional e essa é a promessa do reality mas, é preciso vencer vários obstáculos para chegar ao final como vencedor, isto é , ter sucesso de atingir este objetivo. Os competidores podem pensar que o segredo (alvo) é apresentar o melhor prato (resultado) ao final de cada prova, porém antes disso existem atividades não eliminatórias onde se tem a chance de aprender, desenvolver e demonstrar outras habilidades, da mesma forma que qualquer profissional e empresa em sua atividade podem fazer. Evitando pelo lado do colaborador ser demitido e muito pelo contrário, crescer em sua carreira. E pelo lado da empresa descobrir em meio a seus colaboradores talentos para crescerem e fazer crescer, seja na área original de trabalho como em outros departamentos, seguindo uma carreira de ascensão e com isso fazendo a organização crescer ainda mais.

Abaixo o que percebi que acontece dentro do programa e que nós que assistimos podemos aprender para nossa vida pessoal e profissional.


1 – O INÍCIO DE TUDO - Estar preparado para trabalhar sob pressão

Pessoas com diferentes formas de pensar e agir e com uma supervisão nada tolerante e um alto nível de cobrança. No programa, os candidatos estão sob pressão a todo momento e creio que isto é uma coisa comum em nossos trabalhos, principalmente em empresas de alta performance e produtividade. É lógico que o programa usa alguns artifícios nessa linha para manter interesse do público, mas o mercado de trabalho não é tão diferente. Os profissionais que conseguirem entregar resultados, mesmo com altos níveis de pressão com certeza chegarão mais longe.


2 – PLANEJAMENTO É FUNDAMENTAL!


No programa há pouquíssimo tempo entre a ideia do que fazer, a compra dos ingredientes, execução da receita e entrega final do prato. E percebe-se nitidamente os desastres por erro na ideia, aquisição dos ingredientes, no preparo e até na finalização da apresentação do prato, isso ocorre basicamente por uma falha no planejamento, por não terem dado a devida atenção em TODAS as etapas do processo, e assim, o que seria um prato masterchef, é visto como totalmente amador. Na vida pessoal e profissional acontece o mesmo. Quantas boas idéias não acontecem porque não montamos o processo do início ao fim e assim planejamos o todo para ver se é viável ou não para aquele momento? Já começamos rápido para não perder tempo com planejamento para depois perdermos mais tempo em como corrigir e muitas vezes temos que abortar o projeto todo e aí sim, perdermos todo o tempo e recursos que dispensamos até aquele momento. Cada etapa de um processo deve ser planejada no começo do projeto. Este conceito mostra que o planejamento EVITA (E NÃO O CONTRÁRIO COMO A MAIORIA PENSA) perda de tempo, aumenta o foco e o faz visualizar novos caminhos.


3 – ESTRATÉGIA PESSOAL DENTRO DE UM TRABALHO EM EQUIPE


Embora a competição seja individual os participantes realizam algumas provas em grupos e é preciso saber trabalhar em equipe e liderar em alguns momentos. Fazer boas escolhas ao montar um grupo, ou saber o que fazer dentro de um time é fundamental para entregar bons resultados e ir ficando ao longo da competição, pois o eliminado é selecionado de dentro da equipe perdedora . Dentro de uma empresa em momentos que se faz necessário cortes de pessoas o filtro anterior é escolher o elo mais fraco dentro de uma equipe ou departamento, dessa forma sua equipe ser destaque te protege na sua carreira. É preciso estratégia, e a melhor forma é conhecer os seus pontos fortes e fracos e o de todos (concorrência) para saber o momento certo de se destacar individualmente ou não aparecer muito, mas ajudar sua equipe a se

destacar (nestas horas a definição do que tem ser feito pela equipe deve fazer que certos posicionamentos pessoais mudem), quem tem liderança não pode conflitar com o líder do momento a ponto de querer seguir uma outra direção de sua preferência sem a concordância do mesmo , assim, como caso o líder do momento não esteja conseguindo exercer na prática liderança alguma, alguém deve ocupar essa posição. O importante é que tudo tem que ser feito em um processo, tem que ser executado por alguém, pois se alguma etapa do processo não for executada não vai existir resultado satisfatório e a equipe TODA perde, e pessoas com excelente potencial ficam sujeitas a eliminação por estarem dentro do grupo). Você não precisa se destacar sempre. Existe o momento certo para cada um se “aparecer” dentro da equipe, que é depois que o grupo tiver o destaque. Hoje, as empresas valorizam muito os que podem não ser as “estrelas”, mas que dão suporte e são flexíveis para se adequar na busca de um objetivo final. E é muito fácil de perceber as pessoas que se sacrificam para o time ganhar. Não se esqueçam que antes de você ser o vencedor e obter o sucesso é imprescindível ir permanecendo até o momento decisivo de brilhar!


4 – SURPREENDER ATRAVÉS DA OUSADIA


Ser ousado, fazer diferente, testar, optar pelo novo, essas ações podem levar os candidatos cada vez mais longe no programa. No dia a dia de um profissional não é muito diferente. É fácil apostar no simples, no normal, as chances de errar são menores, mas o poder de inovar de surpreender é mais eficaz e o torna um profissional melhor e diferenciado. Ouse sempre! (mas o limite da ousadia é definido pela etapa do planejamento e estratégia, onde podem ser feitas a análise de risco e planos “B”, que seriam os caminhos alternativos caso algo ocorra de errado no plano A).


5 – SABER LIDAR COM FEEDBACK NEGATIVO


Muitas pessoas que assistem podem se assustar ou se indignar com as críticas dos chefes de cozinha e jurados do programa. OK, vocês irão pensar que este tratamento faz parte do roteiro do reality, porém os competidores precisam lidar com isso. E no mercado de trabalho real a cada tarefa que um profissional realiza ele está sendo provado e testado e está sujeito a críticas. E estas críticas podem vir de diversas formas, inclusive em tons similares do programa e isso não significa falta de respeito, afinal de contas quem nunca levou uma bronca aparentemente exagerada dos pais? E nessas horas questionamos como falta de respeito ou duvidamos de que eles queiram mal a nós? E aqueles que já são pais? Vocês dão broncas mais duras nos amigos de seus filhos ou em seus filhos? E isso não seria porque além de achar que é dever

como pai seu amor faz com que você tenha mais interesse que seu filho aprenda do que dos outros, e juntando a hierarquia familiar, você não se sente mais no direito de ser mais duro? Então, não seria possível que um chefe mais duro possa ser um chefe mais interessado no desenvolvimento dos seus colaboradores? Pense nisso!

Fazer com que um julgamento lhe puxe para cima é fundamental e pode lhe diferenciar e o tornar mais forte. Ter autocontrole nessa situação também será fundamental, afinal, o trabalho deve continuar. Até mesmo os competidores eliminados, de alguma forma continuam a exercer uma atividade e muitos deles já sabendo das possibilidades de críticas, costumam em situações futuras serem mais cuidadosos para evitá-las o que significa, que inconscientemente, as críticas duras nos ajudaram a desenvolver o jargão popular de que existem duas formas de aprendizado: pelo amor ou pela dor...rsrsrs

Sem dúvida, se você for mais a fundo poderá encontrar mais aprendizados neste programa e fica como exercício adicional para todos nós.







 


Ana Abreu   escreveu em  24/09/15
Muito Bom!