gestão-pessoas-pme

Conheça os Melhores Caminhos Para Gerenciar Pessoas

Tempo de leitura: 4 minutos

Dificuldade Para Gerenciar Funcionários? Isto é o Que Você Deve Fazer!

Um dos recursos mais preciosos em uma empresa são as pessoas. E não estamos falando só dos clientes, mas dos funcionários, gestores e administradores também! Eles são igualmente vitais para o funcionamento e sucesso de qualquer empreendimento. Inclusive, algumas pessoas chegam a chamá-los de capital humano da empresa. Neste artigo, vamos focar na importância da gestão de pessoas em pequenas e médias empresas.

Por isso, vamos falar um pouco mais sobre capital humano, desafios e caminhos para a gestão de pessoas em PME, e uma alternativa para melhorar o desempenho do seu pessoal e, por conseguinte, da empresa. Com o intuito de facilitar sua leitura, organizamos o artigo da seguinte maneira:

  • O que é capital humano?
  • Desafios e caminhos para a gestão de pessoas em pequenas empresas
  • Quais as vantagens de contratar uma empresa de RH?

O que é capital humano?

Quando falamos em capital, a primeira coisa em que pensamos é dinheiro. Entretanto, existem vários tipos de capital: financeiro, intelectual, manufaturado, social, natural e humano. É nesse último que vamos focar. Afinal, o que é capital humano?

Como mencionamos anteriormente, ele está relacionado às pessoas que trabalham em uma empresa. Entretanto, essa é uma forma muito simples de explicar esse conceito. Na realidade, ele se refere ao conhecimento, habilidades, competências e experiências de seus funcionários.

O economista Theodore W. Schultz (1971), um dos fundadores da teoria do capital humano, acreditava que todos esses aspectos agregariam valor à empresa. Ou seja, um bom profissional contribuiria de maneira significativa para o local em que trabalha, gerando valor econômico para a mesma.

O capital humano, porém, não para por aí. Os valores, a filosofia e a cultura da empresa também têm um peso nessa equação, bem como o quanto ela investe nos seus funcionários.

Pelo menos, é o que defende Paulo Sandroni (1994), que acredita que a empresa deve investir na formação profissional e acadêmica dos seus colaboradores. Investir nos funcionários é investir na empresa.

Não basta escolher bons profissionais, é preciso apostar neles e mais, dar ferramentas e condições para que se tornem ainda melhores. A questão é: como fazer isso em um mercado ultra-competitivo em que tudo é para ontem?

Desafios e caminhos para a gestão de pessoas em PME

Vamos começar com um obstáculo muito comum quando o assunto é a qualificação dos colaboradores de uma empresa: a falta de recursos. Afinal, empresas de pequeno e médio porte não possuem tantos recursos à sua disposição. Essa é uma situação delicada e varia de empresa para empresa, mas o mais aconselhável é ver o que se enquadra no seu orçamento.

Lembre-se: você não está jogando dinheiro fora, você está investindo no futuro da sua empresa. Além disso, existem várias formas de auxiliar na formação de seus funcionários sem gastar tanto dinheiro:

  • Invista em cursos online. A EAD não só tem crescido e se consolidado como um método eficaz de ensino em vários locais, fora e dentro do Brasil, como também é muito mais barato do que cursos presenciais. Existem, inclusive, universidades de renome que oferecem cursos de graça!
  • Crie um Programa de Mentoria. No mentoring, os funcionários mais seniores da equipe são acompanhados, por um tempo, por colaboradores mais juniores. Os mentores também podem tirar dúvidas, dar dicas, etc. De modo que os mais jovens não só aprendem mais como se cria um ambiente de trabalho mais agradável.
  • Promova palestras internas. De maneira similar ao Programa de Mentoria, você também pode escolher um funcionário que tenha muito conhecimento sobre determinado assunto para dar uma palestra para os outros.

No entanto, não caia na armadilha de achar que só seus funcionários mais novos precisam de treinamento especial. Todos seus funcionários, até os mais seniores, devem ser capacitados com frequência para que se mantenham atualizados e antenados às novidades do mercado.

Agora, caso tenha dinheiro para investir na formação dos seus colaboradores, é possível que você esteja se perguntando se é melhor retirar o funcionário da organização ou capacitá-lo dentro da empresa por workshops, por exemplo.

A resposta é… Depende! Toda ação tem seus lados positivos e negativos. Retirá-lo do ambiente pode fazer com que o colaborador se concentre mais nas atividades, mas sua ausência pode pesar para o time que ficou. Por outro lado, um workshop dentro da empresa pode não garantir o mesmo nível de imersão. É sempre bom considerar todas as possibilidades antes de decidir-se.

Quais as vantagens de contratar uma empresa de RH?

Empresas de RH, ao contrário do que muitos imaginam, não existem tão somente para processos de seleção e de recrutamento. Dependendo da empresa, como a Habittus – Gente & Gestão, pode ser que ela ofereça outros serviços, como coaching e consultoria de Recursos Humanos. Por que é importante você saber disso?

Simples: esses serviços podem ajudar a melhorar a produtividade, a organização e a vida profissional dos seus colaboradores.

Por exemplo, uma consultoria de RH pode ajudá-lo a mapear o perfil dos seus profissionais, fazer um levantamento de necessidades de treinamento dentro da empresa e até mesmo facilitar reuniões para resolução de conflitos.

Da mesma forma, o serviço de coaching de uma empresa de RH , um conjunto de técnicas ensinadas com o intuito de “resetar” a lógica e/ou o comportamento das pessoas, melhora o desempenho do seu funcionário. Como? Ajudando-o a construir hábitos melhores e tomando decisões mais racionais por meio do encorajamento, exercícios, etc.

O papel de uma empresa de RH é o de facilitar processos. A Habittus possui anos de experiência fornecendo os serviços acima. Ou seja, anos de experiência garantindo uma melhora na performance de profissionais das mais diversas áreas. O que se traduz, ainda que não de maneira direta, na melhora da performance da empresa, que é o nosso intuito.

Caso tenha interesse em saber mais sobre os serviços acima ou sobre a Habittus, entre em contato conosco!

Referências:

Sandroni, Paulo (Org). Novo dicionário de economia. 4ª edição. São Paulo, SP: Best Seller, 1994.

Schultz, Theodore W. O capital humano: investimento em educação e pesquisa. Rio de Janeiro, RJ: Zahar Editores, 1971.