Entrevista Por Videoconferência: Como Agir!?

Entrevista Por VideoConferência: Como Agir!?

Existem diferenças entre uma entrevista por videoconferência via zoom e uma entrevista cara a cara?

Sim e não.

Uma entrevista por videoconferência ou vídeo chamada é uma entrevista de emprego independente do meio em que ocorre. Ou seja, existem protocolos esperados e nem mesmo uma pandemia mundial conseguiu alterá-los.

No entanto, existem particularidades do meio digital que precisam ser levadas em consideração.

Por isso, nós vamos te dar o passo a passo de como agir em uma entrevista online:

  • Como se arrumar para uma entrevista de emprego online
  • Como se comunicar durante uma entrevista de emprego digital
  • O que evitar em uma entrevista de emprego, digital ou não!

Como você pode perceber, partimos do princípio que você enviou seu currículo, foi contemplado e está na próxima etapa, a da entrevista de emprego.

Caso você não tenha certeza de como montar um currículo para a vaga X, sugerimos buscar ajuda de profissionais para isso, como os da Habittus que ajudam seus clientes a montar um currículo perfeito.

Agora, o mesmo cuidado que você usou na elaboração do seu CV deve ser aplicado às próximas etapas, que são tão – ou mais – importantes na obtenção do seu emprego dos sonhos.

Como se arrumar para uma entrevista de emprego online por vídeo chamada

Só por que uma entrevista é por videoconferência não significa que você não deve se arrumar tanto quanto para uma que seja presencial.

Na realidade, colocar o terno e os sapatos pode te ajudar a entrar no mindset certo para sua entrevista, ajudando-o a se sentir mais confiante.

Da mesma forma, encontre o ambiente ideal para o encontro digital com o recrutador da vaga.

Ou seja, um local com o background em cores neutras e sem muita informação, silencioso ou com pouco som ambiente, com boa iluminação, e em que você não será incomodado durante a entrevista.

Também se certifique de que você possui:

  • Uma boa câmera
  • Uma boa conexão com a internet
  • Um bom microfone
  • Um bom fone de ouvido

É sempre bom testar seus aparelhos e locais diferentes em sua casa com antecedência para garantir que não será surpreendido (negativamente) durante a sua entrevista.

Dito isso, saber comunicar-se bem é indispensável no mundo digital. Vamos aprender mais sobre isso?

SERVIÇO DE PREPARAÇÃO PARA ENTREVISTA DE EMPREGO

SERVIÇO DE PREPARAÇÃO PARA ENTREVISTA DE EMPREGO

Como se comunicar durante uma entrevista de emprego virtual

Você já sabe que não pode deixar a tecnologia ser um estorvo no mundo digital.

Em especial, quando estamos falando de uma oportunidade no mercado de trabalho. Entretanto, os seus apetrechos tecnológicos não são as únicas coisas que podem ficar entre você e seu emprego dos sonhos.

A outra coisa é você mesmo. Ou, ainda, sua falta de habilidade comunicacional. Felizmente, isso é algo que dá para remediar:

  • Certifique-se de enunciar as palavras com clareza.
  • Não se apresse para responder às perguntas do entrevistador, pense na sua resposta antes de falar.
  • Mantenha contato visual – não desvie o olhar.

Essas e outras dicas para entrevistas de emprego abundam na internet. Você pode pesquisar e praticar por conta própria!

Agora, caso queira uma opinião profissional, sugerimos buscar serviços especializados na preparação para processos seletivos, oferecidos por empresas de RH.

Como costumam lidar com clientes e com empregadores, são pessoas com olhar apurado para te ajudar a praticar entrevistas – digitais ou não – e te dar dicas comportamentais, comunicacionais etc.

O que evitar em uma entrevista de emprego, por videoconferência ou não!

Falamos muito sobre o que fazer e o que melhorar para uma entrevista de emprego, mas você já parou para pensar no que você não deve fazer em uma, seja ela digital ou não?

Pois é, muitas pessoas não param de pensar no assunto e é assim que correm o risco de cometer erros bobos. Como:

  • Não pesquisar sobre a vaga e/ou a empresa;
  • Não se vestir adequadamente;
  • Se atrasar;
  • Distrair-se;
  • Ter uma linguagem corporal ruim;
  • Dar respostas confusas e/ou vagas;
  • Divagar;
  • Mentir;
  • Não fazer perguntas;
  • Iniciar a discussão sobre dinheiro ou férias;
  • Usar palavras de baixo calão;
  • Atender ligações durante a entrevista;
  • Decorar respostas;
  • Falar mal de chefes, colegas ou trabalhos antigos;
  • Ser arrogante; e
  • Demonstrar falta de interesse.

Não se assuste com a lista – a maioria delas só requer bom senso por parte do profissional que está buscando uma nova oportunidade de emprego.

Consciente desses pequenos deslizes, porém, você pode se certificar de que não irá cometê-los de jeito nenhum e garantir que não será eliminado por algo que poderia ter sido facilmente evitado.

Esperamos que essas dicas para entrevista de emprego te ajudem.

Caso ainda não esteja confiante e precise do auxílio de um profissional de RH, entre em contato conosco.

Nossos profissionais podem te ajudar.

Tenho Uma Entrevista De Emprego: E Agora, O Que Fazer!?

Tenho Uma Entrevista de Emprego: E Agora, O Que Fazer!?

Independente da sua idade e da sua profissão, uma entrevista de emprego pode ser algo assustador. Afinal, são alguns minutos que podem decidir o seu rumo profissional.

Em um momento de crise econômica, política e social, como o qual estamos passando, a vaga certa se torna ainda mais disputada e importante.

Por isso, neste artigo vamos falar sobre como se preparar para uma entrevista de emprego.

Para facilitar a sua leitura, organizamos o texto da seguinte forma:

  • Como se preparar para uma entrevista de emprego?
  • Quais as perguntas mais comuns em entrevistas de emprego?
  • Como se comportar em uma entrevista de emprego?

Caso queira ler especificamente sobre um dos tópicos acima, basta ir direto ao assunto. Ainda assim, aconselhamos a ler todos os itens!

Como se preparar para uma entrevista de emprego?

O primeiro contato que seu empregador terá com você é por meio do seu currículo.

Portanto, é muito importante que você informe suas experiências mais relevantes, bem como quais as funções que você exerceu em cada uma delas, dentre outras informações relevantes para a empresa, como idiomas, educação, etc.

Dependendo da sua área de atuação, pode ser que você tenha que caprichar mais na apresentação do documento.

Por exemplo, entre designers, diretores de arte e outras profissões ligadas à indústria criativa, um CV mais trabalhado pode fazer a diferença. Já um advogado não precisa disso, um simples documento Word basta.

É claro que um bom currículo não significa que você será chamado para uma entrevista, mas é meio caminho andado. Caso tenha sido chamado, você está muito mais perto de conseguir seu emprego dos sonhos.

Mas pode ser que você esteja preocupado com os próximos passos, certo?

Da mesma forma que você adequou seu currículo à vaga, você precisa se vestir de maneira apropriada. Para um advogado, isso significa separar um bom terno e par de sapatos de cores sóbrias para o dia da entrevista.

Outras profissões não costumam requerer roupas tão formais, mas é sempre bom pesquisar sobre as normas da empresa ou agência para a qual você está se candidatando.

Falando em pesquisa, é sempre bom você investigar um pouco sobre a história da empresa, as funções que você precisará exercer etc.

Se ainda não estiver muito seguro, você pode pesquisar sobre as perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego e refletir sobre elas.

Os recrutadores vão saber se você tiver decorado algo, por isso não faça isso – pense sobre a questão e responda honestamente.

Quais as perguntas mais comuns em entrevistas de emprego?

Então, o que mais perguntam em uma entrevista? Em geral, sobre você, suas experiências profissionais e como isso pode se aplicar à vaga desejada. Quer ver? Olha só:

  • Me conte sobre você.
  • Por que você quer trabalhar para nós?
  • Quais são seus pontos fortes e fracos?
  • Aonde você se vê em cinco anos?
  • Qual é a sua maior conquista?
  • Por que deveríamos contratá-lo?
  • Você trabalha bem em equipe?
  • Qual sua maior conquista profissional? E pessoal?
  • Quais são suas expectativas salariais?
  • Você tem alguma pergunta?

Quando for responder a qualquer uma dessas perguntas (ou, ainda, a qualquer pergunta durante um processo seletivo) lembre-se do seu objetivo: conseguir o emprego.

E lembre-se do objetivo do entrevistador: contratar um bom funcionário para sua empresa.

Assim, o ideal é que suas respostas demonstrem suas qualificações enquanto colaborador.

Parece um caso de “fácil falar, difícil fazer”, certo? Afinal, como você vai saber se suas respostas são boas. Existem duas formas:

  1. Experiência. Você vai passar por muitos processos seletivos durante sua vida e, eventualmente, você vai aprender como navegar por eles.
  2. Buscando a ajuda de um profissional. Muitas empresas de RH, como a Habittus – Gente & Gestão, oferecem serviços de preparação para entrevistas de emprego. Esses serviços costumam incluir uma análise do currículo e da vaga, de modo que eles podem averiguar as perguntas mais prováveis que farão para você; simulação de entrevista; feedback e dicas.
SERVIÇO DE PREPARAÇÃO PARA ENTREVISTA DE EMPREGO

SERVIÇO DE PREPARAÇÃO PARA ENTREVISTA DE EMPREGO

Como se comportar em uma entrevista de emprego?

Você acha que a forma de se comportar em uma entrevista de emprego é óbvia?

Pense duas vezes! Não é à toa que existem especialistas de RH dedicados ao ensino da melhor forma de portar-se.

E o que isso significa?

Em geral, agir de uma forma que demonstre confiança e/ou segurança de si mesmo e de suas aptidões. E eis algumas maneiras de fazer isso:

  • Mantendo uma postura relaxada – que é diferente de “desleixada” – e aberta;
  • Mantendo contato visual com o entrevistador; e
  • Enunciando suas palavras de forma calma e clara.

É claro que um profissional, como mencionado anteriormente, poderia fazer uma análise mais crítica da forma como você se comporta agora e o que pode melhorar.

Acima de tudo, lembre-se que se você se candidatou à vaga é porque acredita que tem o que é necessário para preenchê-la. E esse é o tipo de confiança que os recrutadores querem.

Se ainda não se sente preparado para a sua próxima entrevista de emprego, entre em contato conosco. Nossos profissionais podem te ajudar.

Linkedin: 10 Estratégias Simples Que Você Pode Usar Hoje Mesmo

Linkedin: 10 Estratégias Simples Que Você Pode Usar Hoje Mesmo

Embora muitos profissionais demorem para dar atenção ao seu perfil do LinkedIn e outros costumam preenchê-lo pela metade, copiam e colam alguns trechos do currículo e não se conectam há meses. Essas pessoas tendem a pensar que o LinkedIn não as ajuda a encontrar o emprego dos seus sonhos e é apenas mais uma plataforma de mídia social, como Facebook, Twitter ou Instagram.

Mas é exatamente o contrário. O LinkedIn oferece muitas oportunidades para quem está no mercado de trabalho, ajudando-os a estabelecer conexões, acompanhar negócios e eventos e até fazer a procura de emprego

Abaixo estão algumas dicas para te ajudar na elaboração de um perfil campeão:

DICA 1 – ESCOLHA BEM A SUA FOTO DO PERFIL

Sua foto de perfil é o seu cartão de visita no LinkedIn – é como as pessoas são apresentadas a você e (seres visuais que somos) essa será a sua primeira impressão, aqui estão algumas dicas rápidas: verifique se a foto é recente e se parece com você, faça o seu rosto ocupar cerca de 60% do espaço da foto (as fotos de distância não se destacam), use o que você gostaria de usar para trabalhar e sorria com os olhos! Existem sites que podem ajudar na avaliação da melhor foto para o perfil. Deixo aqui duas indicações: photofeeler.com e photo-analyzer

DICA 2 – INCLUA PALAVRAS-CHAVE NO TÍTULO E RESUMO (servem para aumentar a visibilidade do seu perfil)

Palavras relacionadas a sua área de atuação ou imagine como um recrutador irá pesquisar por profissionais da sua área

O título do seu perfil no Linkedin é o campo mais importante de todos! É o título que aparece em destaque sempre que você fizer uma postagem, enviar convites e mensagens, participar de debates e discussões em grupo e é o principal responsável pelo ranking nos resultados de busca. O que você colocar no título vai impactar diretamente nas suas possibilidades de ser bem classificado e visto por pessoas que estejam em busca de profissionais com as suas habilidades e competências

Por isso, é fundamental inserir palavras-chave aqui. Faça um resumo da sua profissão e habilidades em uma frase curta, mas que englobe todas as palavras-chaves escolhidas e relevantes para a sua área de atuação.

Dessa forma, sempre que alguém buscar por termos relacionados, seu perfil estará lá.

O campo RESUMO/SOBRE do linkedin trata-se de um espaço para você contar a sua trajetória e história profissional, diferente do currículo, nesse campo você pode se alongar pois, ele aceita mais de 2.000 caracteres. No resumo devem ser colocados suas conquistas, experiências, vivências, projetos e tudo que possa impressionar um potencial recrutador. Nesse campo você terá oportunidade de usar e abusar das palavras-chaves e otimizar a visibilidade do seu perfil. Só tome cuidado para não inserir palavras-chaves de forma aleatória e que não façam conexão com o seu histórico profissional

DICA 3 – SEJA ESPECÍFICO E QUANTIFIQUE SUAS REALIZAÇÕES

Se você tiver conquistas quantificáveis , inclua-as em seu resumo do Linkedin. É uma boa ideia incluir alguns detalhes sobre cada trabalho anterior que você executou. Não cometa o erro de usar termos vagos como ‘responsável pelo gerenciamento do…’, o que diz muito pouco ao recrutador. Uma boa abordagem a seguir é imaginar que você estava elaborando uma carta de apresentação para uma vaga; dê exemplos para mostrar que você tinha responsabilidade e realizou de forma satisfatória o trabalho.

Em vez de dizer ‘sou um analista de finanças de sucesso’, diga: ‘Aumentei a produtividade em 35% no meu local de trabalho em 2019, treinando a equipe no novo software de administração’.

DICA 4 – PARTICIPE DE GRUPOS E FAÇA COMENTÁRIOS NAS POSTAGENS, NADA DE COMENTAR: legal, interessante etc.

Faça comentários de verdade, que mostrem que você leu o conteúdo e entendeu. Você pode comentar sobre um artigo relacionado ao setor que leu ou publicou recentemente, sobre um seminário em que participou. Se você tem um blog, vincule suas postagens no LinkedIn.

DICA 5 – TENHA UM GRUPO DE CONEXÃO ACIMA DE 40 E NÃO ADICIONE MUITAS PESSOAS QUE VOCÊ NÃO CONHEÇA

Garanta que você tenha um bom banco de conexões – acima de 40 idealmente – e não adicione muitas pessoas que você não conheça. Evite se conectar a perfis sem fotos, com conteúdos duvidosos ou pouco expressivos, com poucas informações pessoais e profissionais, sem informações de contato e sem publicações. Busque sempre a qualidade em sua rede profissional. Adote uma abordagem estratégica – fique na memória de seus contatos, gostando, comentando e até compartilhando suas postagens.

DICA 6 – MANTENHA SEU PERFIL ATUALIZADO E O ACESSE COM FREQUÊNCIA

A maioria das grandes empresas, consultorias de RH e recrutadores em geral, utilizam o Linkedin como ferramenta de busca para o preenchimento de vagas, logo, é imprescindível que você mantenha seu perfil atualizado para não perder oportunidades.

DICA 7 – CERTIFIQUE-SE DE QUE VOCÊ POSSA SER ENCONTRADO

Recomendamos que você tenha uma URL personalizada para ser encontrado com mais facilidade. Você pode optar por usar apenas seu nome, se estiver disponível ou seu nome com um hífen ou outra combinação. Clique em “Editar seu perfil público” em “Configurações e Privacidade” e você verá uma opção em “Editar URL”. Certifique-se de que os detalhes de contato que você listou sejam atuais e também inclua seu identificador do Twitter ou outras informações de mídia social se você tiver mais chances de responder por essas plataformas. Nas configurações de privacidade, você pode escolher como o seu perfil será visualizado por aqueles que não são conexões. Dependendo do seu setor, você pode pensar em quanto da sua experiência deseja revelar para aqueles que ainda não são suas conexões de primeiro grau.

DICA 8 – PEÇA RECOMENDAÇÕES E FAÇA TAMBÉM

São depoimentos pessoais escritos para ilustrar a experiência de trabalhar com você. Há um menu suspenso útil na seção Recomendações do seu Perfil que facilita o contato com contatos específicos e a solicitação de recomendações. Reserve um tempo para pensar sobre o que você mais valorizaria em uma recomendação – e personalizar sua solicitação. Vale a pena o esforço extra.

DICA 9 – COMPARTILHE CONTEÚDO RELEVANTE E ADICIONE COMENTÁRIOS

Compartilhar é ótimo – mas é apenas o ponto de partida. Ao adicionar comentários aos seus compartilhamentos, você aparece com mais destaque no feed e começa a expressar por que acha que uma parte específica do conteúdo é importante. Comentários bem feitos também permitem que você compartilhe uma gama mais ampla de conteúdo.

Seguir influenciadores relevantes no LinkedIn ajuda a colocar um conteúdo interessante em seu feed, que você pode compartilhar com outras pessoas quando achar que agrega valor. 

DICA 10 – ESTEJA ATENTO AS NOVIDADES DO LINKEDIN

O  LinkedIn é a mais nova plataforma a ter um recurso de Stories — e o Brasil é o primeiro país a receber a novidade oficialmente. Outro novo recurso disponibilizado este ano, é o Open To Work que indica para toda a sua rede que você está em busca de novas oportunidades através de um selo. Em maio deste ano, o LinkedIn também ganhou novos recursos para transmissões ao vivo, eventos e vídeos.

 

10 Dicas Para O Planejamento De Carreira Em Qualquer Idade Ou Estágio De Carreira

10 dicas para o planejamento de carreira em qualquer idade ou estágio de carreira

O planejamento de carreira deve ser feito com certa frequência, em média um profissional mudará de carreira de cinco a sete vezes durante a vida e por isso, o ideal é realizar o planejamento ao menos uma vez por ano.

Para atingir e manter o sucesso em um mercado de trabalho cada vez mais volátil é imprescindível um gerenciamento de carreira. As empresas buscam atrair, contratar e reter profissionais que ofereçam o melhor valor e que reúnam competências e habilidades alinhadas as exigências atuais.

Pense em você como um negócio com um produto ou serviço a venda e crie estratégias para comercializar seu valor no local de trabalho.

Aqui estão 10 etapas que você pode seguir agora para desenvolver um plano de carreira que o levará aonde você quer estar profissionalmente:

1. Mantenha o currículo atualizado

Um dos passos mais importantes no planejamento para o futuro de sua carreira é estar pronto para as oportunidades quando elas se apresentarem. Independentemente da sua área de atuação ou nível de carreira, aprender escrever um currículo e mantê-lo atualizado é um excelente exercício.

2. Faça do planejamento de carreira um evento regular

Reserve um dia ou final de semana pelo menos uma vez por ano e agende um horário para se concentrar verdadeiramente no que você quer da sua carreira. Para mim, o melhor momento para fazer isso é no final de dezembro, quando estamos nos aproximando do ano novo.

3. Reflita sobre seu plano de carreira atual e seu desempenho profissional no ano anterior

A reflexão aumenta a produtividade e o desempenho; logo, poupe um tempo para pensar sobre sua situação atual e o caminho que você deseja seguir. Você está feliz com sua carreira até agora? O que você poderia ter feito melhor ou de maneira diferente? O que você pode mudar no futuro? Quando você se entende e o que realmente deseja, é muito mais fácil criar um plano que atenda às suas metas e ao seu estilo de vida.

Você pode continuar experimentando o crescimento da carreira investindo no desenvolvimento  – por exemplo, você pode conversar com seu gerente sobre o trabalho de outros colaboradores em sua empresa para aprender sobre coisas diferentes ou participar de várias sessões de treinamento e workshops. Você pode explorar movimentos laterais para ampliar sua experiência ou encontrar um mentor em uma área diferente que você gostaria de conhecer.

4. Pense sobre o que você gosta, não gosta, precisa e deseja no trabalho

Nossos gostos e desgostos mudam ao longo do tempo, por isso é sempre uma boa ideia refletir sobre o que você sente de verdade em sua vida e carreira. Faça uma lista do que você gosta e não gosta no seu trabalho atualmente. Espero que você ainda goste de muitas das suas atividades de trabalho, mas se esse não for o caso, talvez seja hora de começar a considerar um novo emprego ou carreira.

Também é importante ter um propósito claro e significativo que você ache emocionalmente interessante. O que você realmente precisa do seu trabalho? Fazer a diferença? Para se tornar financeiramente independente?

5. Mantenha um registro de suas realizações

A maioria de nós não mantém um histórico de realizações de trabalho, no entanto, isso não é útil apenas para a construção de seu currículo, mas também para o planejamento de carreira. Aprender a acompanhar e escrever sobre suas realizações profissionais o ajudará ao trabalhar em direção ao seu próximo objetivo de carreira.

6. Identifique suas habilidades transferíveis

Talvez o seu cargo seja Analista de marketing, mas você tem uma enorme experiência em gerenciamento de projetos – habilidades que podem ser direcionadas a outros trabalhos. Pense além do seu cargo atual, considerando seus objetivos e como as habilidades que você tem agora seriam úteis para uma nova função. Faça uma lista de habilidades transferíveis relevantes para adicionar ao seu currículo.

Além disso, faça uma pesquisa sobre quais habilidades você precisa adquirir. Se seu objetivo é se tornar o Diretor de marketing, por exemplo, que experiência e habilidades você precisa adquirir no próximo ano ou nos próximos cinco anos para se qualificar para esse cargo? Em seguida, crie um plano para atingir seu objetivo de carreira a longo prazo.

7. Estabeleça metas de carreira

Embora você possa ter sucesso em sua carreira sem estabelecer metas, você pode ter ainda mais sucesso com a definição de metas Quais são suas metas de carreira de curto (dentro de um ano) e de longo prazo (dentro de cinco a 10 anos)? Sempre anote-as e compartilhe a lista com alguém. Isso ajudará você a criar um senso de responsabilidade.

Outra grande parte do planejamento de carreira é revisar e ajustar esses objetivos regularmente – e desenvolver novos objetivos assim que você atingir os objetivos anteriores. Portanto, sempre que você se sentar para uma sessão de planejamento de carreira, divida esta lista e revise-a.

8. Explorar novas oportunidades de aprendizado

Nunca perca a chance de aprender e crescer mais como profissional e indivíduo. Parte do planejamento de carreira é encontrar oportunidades de treinamento, cursos ou workshops que ajudarão você a avançar em sua carreira. Se sua empresa oferece oportunidades de desenvolvimento profissional, aproveite-as. Isso pode ser valioso para alcançar seus objetivos.

9. Aproveite e aprenda com os outros

Crie relacionamentos com líderes dentro e fora do seu trabalho, participe de conferências relacionadas a sua área e explore outros eventos. Quanto melhor sua rede, mais oportunidades você terá de aprender com outras pessoas que obtiveram sucesso. Para descobrir mais sobre outras opções de carreira possíveis, você pode realizar algumas reuniões informativas com colegas ou gerentes – as pessoas geralmente estão dispostas a compartilhar conselhos, se você perguntar.

10. Saia da sua zona de conforto

Uma das melhores maneiras de avançar em sua carreira é identificar e resolver um problema organizacional que sua empresa está enfrentando. Se você puder identificar um problema em sua organização, propor uma solução e implementá-lo, você não apenas aumentará sua visibilidade na organização, mas também expandirá suas habilidades no processo.

Dica extra: Pesquise outras oportunidades de crescimento na carreira

Uma parte divertida do planejamento de carreira é projetar sua carreira. Onde você estará daqui a um ano ou daqui a cinco anos? Embora seja impossível planejar tudo, é sempre uma boa ideia saber para onde você está indo e quais várias carreiras estão disponíveis para você.

À medida que os funcionários progridem em suas carreiras, menos empregos em níveis mais altos tornam-se disponíveis, mas continuar a aumentar suas habilidades e experiência ainda deve ser uma prioridade.

Você pode continuar experimentando o crescimento da carreira investindo no desenvolvimento de sua carreira – por exemplo, você pode conversar com seu gerente sobre o emprego de outros funcionários em sua empresa para aprender sobre trabalhos diferentes ou participar de várias sessões de treinamento e workshops. Você pode explorar movimentos laterais para ampliar sua experiência ou encontrar um mentor em um departamento diferente que você gostaria de explorar.

A revisão e o planejamento regulares o prepararão para o que está por vir em sua carreira. Dirija sua carreira deliberadamente, mas também esteja aberto à vida, surpreendendo-o com novas aventuras, mesmo que elas não correspondam exatamente ao destino que você tinha em mente.

Imagem Artigo O Pape Aqgtd Scaled

O papel da Consultoria de RH nas Micro e Pequenas Empresas

Toda empresa, seja ela pequena, média, grande ou multionacional, precisa de uma área ou suporte profissional para gerenciar os recursos humanos. Seja para realizar a administração de pessoal (pagamento dos funcionários, organização dos processos de admissão e demissão, controle de jornada etc) ou formatar os programas de treinamento e desenvolvimento, atração e seleção de talentos e demais ações com foco pessoas. No caso de empresas maiores, com um número expressivo de funcionários, a área de recursos humanos é essencial para gerenciar os colaboradores com qualidade.

Porém, ao contrário do que muitos pensam, o suporte profissional na área de gestão de pessoas também é fundamental em empresas de pequeno e médio porte, como startups, por exemplo. Confira abaixo como uma consultoria especializada pode dar suporte para o seu pequeno negócio:

Elaborar, organizar e mapear processos

A gestão dos recursos humanos é essencial para que uma empresa cresça de forma estruturada. No caso de empresas pequenas, a criação de uma base organizada ajuda que ela cresça de forma gradativa e planejada. Nesse cenário, a consultoria de RH pode ajudar no gerenciamento tanto de pessoas quanto de processos burocráticos como folha de pagamento, contratos, entre outros.

Uma empresa que cresce sem processos bem estruturados tende a sofrer muitas perdas durante a sua expansão, inclusive de dinheiro.

Cumprir a Legislação

Numa startup ou numa empresa de pequeno porte, é comum vermos apenas os empresários cuidando da parte burocrática da organização. Porém, caso o empreendedor não tenha experiência em Gestão de Recursos Humanos, pode ser que o cumprimento das leis trabalhistas esteja comprometido.

Uma ação trabalhista pode custar muito caro para uma empresa que ainda está se inserindo no mercado. Por isso, a Consultoria é extremamente necessária em empresas que possuam até 5 funcionários. É ela quem analisa e garante os direitos dos seus empregados tudo conforme as leis trabalhistas.

Reter talentos

Além da parte burocrática, a Consultoria de RH é fundamental nas pequenas empresas para identificar e reter talentos. Muitas vezes os empresários estão extremamente ocupados com o gerenciamento do negócio e não têm tempo para conhecer e analisar os perfis profissionais já alocados na empresa. Com o olhar focado no futuro, esses empresários podem não identificar insatisfações e assim acabar perdendo profissionais por descaso.

A Consultoria de RH pode auxiliar os empreendedores nessa importante tarefa. Além de gerenciar o clima organizacional, consegue, ainda, identificar as necessidades dos colaboradores e assim alertar e negociar com os diretores em casos de contraproposta, por exemplo.

Intermediar as relações

Já que falamos em negociação, a Consultoria de RH dentro das pequenas empresas é responsável por intermediar as relações entre donos e funcionários, diferentemente das empresas maiores, onde os coordenadores, diretores e líderes são quem transmitem as mensagens dos CEO’s aos outros colaboradores.

Nas empresas menores, onde não existe tanta hierarquia, a Consultoria de RH é a principal responsável por transmitir os valores e propósitos da organização aos funcionários.

Planejar uma expansão

A Gestão de RH precisa ser cada vez mais estratégica. No caso das pequenas e micro empresas, essa necessidade é ainda maior. Imagine que uma startup esteja planejando a criação de um novo aplicativo ou software para um determinado segmento. A Consultoria de Recursos Humanos vai ajudar a olhar para dentro e otimizar as competências já existentes na equipe e buscar no mercado as habilidades necessárias para a execução do projeto.

Gostou de saber como uma consultoria de RH é fundamental nas micro e pequenas empresas?

Compartilhe sua opinião conosco! E não deixe de curtir a nossa página no Facebook.

Luisa Reis
Diretora Comercial & Coach na Habittus Gente & Gestão
[TheChamp-Sharing total_shares="ON"]